fbpx

Como separar as finanças pessoais e profissionais? Saiba agora!

um homem sentando na mesa e calculando suas finanças pessoais
6 minutos para ler

A mistura de finanças pessoais e profissionais é um erro bastante comum no meio de micro e pequenos empreendimentos. Fazer a separação desses capitais é um hábito que deve ser desenvolvido desde a criação de um negócio.

Isso porque essa confusão financeira pode gerar dívidas e até mesmo levar uma empresa à falência. Não importa o porte da sua empresa: é necessário realizar uma gestão econômica séria e organizada, separando os gastos individuais dos operacionais. Apenas dessa forma será possível conseguir um bom lucro e descobrir se há dificuldades financeiras que precisam ser corrigidas.

Para evitar que as finanças pessoais afetem a saúde financeira de seu negócio, elaboramos este post. Nele, você vai conhecer as melhores dicas de gestão relacionadas ao dinheiro. Boa leitura!

Utilize contas separadas

É essencial que você faça duas contas-correntes, uma pessoal e a outra para o negócio. Essa não é uma obrigação legal, e alguns empreendedores têm o dom de gerir suas finanças com apenas uma. Porém, ao ter contas separadas, fica mais simples organizar o dinheiro Assim, é possível controlar melhor os gastos , os pagamentos recebidos e os lançamentos nos extratos.

Grande parte dos empresários autônomos tem o péssimo hábito de quitar suas contas individuais com o cartão ou cheque da empresa. Esse é o primeiro deslize para a confusão financeira. Por não existir gestão de dinheiro, alguns proprietários sequer sabem se têm um negócio lucrativo ou não.

Os principais motivos para ter contas bancárias separadas são:

  • eliminar o risco de o pagamento de uma conta ou imposto atrasar por falta de verba;
  • evitar que gastos pessoais se misturem com os profissionais na hora de conferir as movimentações feitas em dinheiro;
  • facilitar a identificação de lançamentos;
  • simplificar a declaração de Imposto de Renda para a Receita Federal;
  • impedir que o proprietário acabe usando o limite de crédito do negócio para quitar suas próprias contas.

Também é importante citar que ter contas diferentes pode ser bastante conveniente na hora em que você precisar de empréstimos. Isso porque existem vantagens exclusivas para empresas.

Defina um salário para você

Um dos maiores problemas que levam muita gente a “embaralhar” suas despesas é o fato de não definir uma quantia fixa de retirada de dinheiro em caixa para arcar com suas contas pessoais, como um tipo de salário.

Essa remuneração é chamada de pró-labore e precisa ser compatível com a realidade financeira do empreendimento. A sensação de ser um profissional autônomo às vezes faz com que você pense poder tirar a quantia que quiser do caixa. Porém, essa prática pode deixar sua empresa no vermelho.

O segredo para fugir desse tipo de problema é evitar o consumismo, ou seja, não aumentar o seu gasto pessoal enquanto o negócio estiver se consolidando.

Tenha uma reserva para emergências

Com a crise financeira, é impossível saber o que pode acontecer amanhã. Logo, um proprietário cuidadoso sabe que seu estabelecimento não deve contar apenas com o faturamento do mês, é necessário criar uma reserva emergencial para garantir a sobrevivência da empresa em caso de imprevistos.

O mesmo deve ser praticado na vida pessoal. Por exemplo, é preciso fazer um “pé-de-meia” para preservar o seu sustento caso as coisas comecem a ir mal, e você tenha que suspender sua remuneração por alguns meses até que o negócio se recupere.

Aposte em planos corporativos

Muitos empreendedores novatos demoram para notar que poderiam poupar mais se usassem os planos voltados para empresas do que aqueles disponíveis para pessoas físicas. A internet e a telefonia são dois exemplos clássicos: os planos empresariais são mais benéficos do que aqueles oferecidos para o consumidor “normal”.

Portanto, comece acompanhando quais são as opções possíveis e fuja de contas que estejam vinculadas ao seu nome pessoal. Por exemplo, existem estabelecimentos nos quais a conta de energia elétrica está atrelada ao nome do dono e não ao CNPJ. Esse hábito prejudica a contabilidade, fazendo com que você misture as coisas.

A mesma ideia se aplica à compra de carros. As lojas oferecem condições bem mais tentadoras aos chamados “automóveis de frota” do que aqueles oferecidos para a pessoa física. Logo, se você usa o veículo para trabalho, considere tê-lo ligado ao CNPJ para obter diversos benefícios, como taxa de juros reduzida e seguro auto.

Use um software de gestão empresarial

Um dos grandes desafios enfrentados pelos pequenos negócios é o fato de que as retiradas de pequeno valor não são registradas. Por exemplo, você se lembra de marcar na sua tabela as despesas de água, luz ou telefone, mas esquece daquela caixa fechada de copos descartáveis que custou R$ 30.

Esses pequenos valores, vistos durante uma semana, podem não fazer muita diferença, mas na hora de fazer o balanço mensal, é bem capaz que a soma desse dinheiro gere um valor bem alto. Então, não se assuste se R$ 200 tiverem “desaparecido” da conta por terem sido gastos com simples cafezinhos do dia a dia.

É por isso que você deve contar com um aplicativo de gestão empresarial como a Agenda BOA. Registrar cada real gasto garante que você veja com detalhes todo o valor movimentado, além de diminuir a probabilidade de erros com finanças pessoais e profissionais.

Conte com o apoio de um profissional de contabilidade

Se você se vê perdido em meio a documentos e outros papéis com os quais não tem intimidade, contrate um contador para cuidar das obrigações financeiras e tributárias do seu negócio.

O não pagamento de determinados impostos pode trazer grandes prejuízos, capaz até de ultrapassar o salário de um empregado. Por isso, invista nesse tipo de serviço sem pensar duas vezes. As instruções de um profissional contábil geram uma economia considerável a longo prazo.

Busque comodidade para gerenciar seu negócio e deixe esse trabalho mais burocrático para quem realmente entende do assunto. Além de ganhar mais tempo, você evita que erros de preenchimento ou atrasados em pagamentos aconteçam. Basta entregar sempre a relação de documentos necessária para que o dinheiro da empresa fique organizado — e inteiramente separado das suas contas individuais.

E então, aprendeu como separar as finanças pessoais e profissionais? Para isso, basta seguir as recomendações citadas acima para garantir a saúde financeira do seu negócio e obter sucesso na sua área!

Se você quer continuar por dentro de novidades sobre empreendimento e gestão de negócios, siga nossas redes sociais. Estamos no Facebook e no Instagram!

Download do App Agenda BOAPowered by Rock Convert
Você também pode gostar

3 Comentários em “Como separar as finanças pessoais e profissionais? Saiba agora!

Deixe uma resposta

-